le vide grenier

by catarina clemente

Com muita pena, vi-me obrigada a fazer a minha caminhada -depois-do-almoço sem a minha querida Zara, que se encontra tão longe (snif, snif). Enchi-me de coragem e lá fui eu fotografando um estilo de construção que não aprecio particularmente, mas “enfin c’est la vie”  como dizem os franceses – ou como diz a minha amiga Miriam – e eu prefiro – “elefante, é a vida!”

Mas sou tão, mas tão sortuda que, ao fundo da rua, inesperadamente dou com um “vide grenier“!

Não me interessei especialmente por nada – e ainda bem, dado que nem sequer tinha dinheiro comigo – mesmo assim, soube bem. Ajudou a calar (um bocadinho) as saudades de casa. Afinal, por lá, as minhas caminhadas não costumam acabar assim.

Advertisements