finalmente, a lucidez

by catarina clemente

“Ora até que enfim…, perfeitamente…
Cá está ela!

Graças a Deus …

Que tudo quanto dei me voltou em lixo,
E, como cuspo atirado ao vento,
Me dispersou pela cara livre!

Que tudo quanto pensei me faz cócegas na garganta
E me quer fazer vomitar sem eu ter comido nada!

Graças a Deus, porque, como na bebedeira,
Isto é uma solução.
Arre, encontrei uma solução, e foi preciso o estômago!”

(adaptado de Álvaro de Campos)

 

Advertisements