chá

interiors. ideas. emotions. life.

Month: December, 2010

coincidências

todos encontrados no mesmo dia. no mesmo local.

todos eles fragmentos de azulejo.

todos eles verdes.

aparentemente todos eles pintados à mão.

sabe bem

conforto. miminhos. lareira. mantinhas.

amigos. família.

brincar. rir.

the love tree

Não aprecio o natal. Embaraça-me a onda de consumismo. Afligem-me os atropelos nos centros comerciais. Chateiam-me os procedimentos protocolares da quadra.

Mesmo assim, considero-o uma ocasião tão boa como qualquer outra para reunir com “quem se gosta” . Leia-se “reunir” –  juntar sob o mesmo tecto, mas leia-se sobretudo “re-unir” – (re)aproximar pessoas, estreitar laços, fortalecer relações. E é tão somente isto o que vos desejo. Acredito que nada mais é necessário (nesta época). E que poucas coisas (na vida) são tão necessárias quanto esta.

Entretanto, e porque este blogue  (não parece mas ainda) é sobre interiores, fica uma ideia modesta (e tardia) para uma (espécie de) árvore. O tema não é o natal mas aquilo que verdadeiramente importa dar e receber.

por vezes

Por vezes, prevê-se um dia cinzento, mas o céu insiste em se mostrar azul. Por vezes, no meio do entulho, encontram-se pequenos tesouros. Por vezes, sai-se de casa com o coração apertado e regressa-se com ele (muito mais) tranquilo. Quem me dera lembrar-me disto da próxima vez que uma notícia me der um nó na garganta.

For myself I am an optimist – it does not seem to be much use being anything else – Winston Churchill

Já agora, a propósito de mosaico hidráulico, vale a pena revisitar a reportagem da Rosa sobre o Mestre Lúcio Zagalo.

lovely mess

like synchronized swimmers we are only beginners

o facto de ainda não conseguirmos sincronizar completamente  os movimentos, não diminui a beleza da coreografia
enquanto isso, sentimo-nos confusos, atrapalhados, patetas, inseguros… e FELIZES!

 

11.12.2010

o nome

A escolha do nome do piolho continua em debate. A lista de possibilidades é extensa, variada e nada consensual.

Eu sinto-me inclinada para Scotch ou Scot mas ainda não estou inteiramente decidida.

 

novidades

mais fragmentos…

e um novo habitante cá em casa, que não pára quieto e não é fácil fotografar…

sugestões para o nome do rapaz são bem vindas =)

mais fragmentos e dez réis de esperança

Durante a última semana, recolhi uma quantidade considerável de fragmentos para a colecção (um deles foi um presente).

Pelo meio, encontrei  uma moeda de X réis, de 1885 o que,  por si só, me parece motivo suficiente para recordar este “dez réis de esperança”, de António Gedeão:

Se não fosse esta certeza
que não sei de onde me vem,
não comia, não dormia,
nem falava com ninguém.
Acocorava-me a um canto,
no mais escuro que houvesse,
punha os joelhos à boca
e viesse o que viesse.
Não fossem os olhos grandes
do ingénuo adolescente,
a chuva das penas brancas
a cair impertinente,
aquele incógnito rosto,
pintado em tons de aguarela,
que sonha no frio encosto
da vidraça da janela,
não fosse a imensa piedade
dos homens que não cresceram,
que ouviram, viram, ouviram,
viram, e não perceberam,
essas máscaras selectas,
antologia do espanto,
flores sem caule, flutuando
no pranto do desencanto,
se não fosse a fome e a sede
dessa humanidade exangue,
roía as unhas e os dedos
até os fazer em sangue.