laundry bag

by catarina clemente

Nas casas onde vivi antes, costumava utilizar um cesto para a roupa suja ou, influenciada pelas tendências mais recentes, a tulha encastrada no móvel.

Comecei a usar o saco como solução provisória  quando mudámos para esta casa, mas acabei por me render a ela.

Primeiro, porque é muito prático tanto para guardar a roupa como para a transportar da casa de banho até à máquina de lavar.

Além disso, como a capacidade do saco é relativamente pequena, evitam-se grandes acumulações de roupa suja.

Outra vantagem é ocupar muito pouco espaço (temo-lo pendurado atrás da porta da casa de banho).

E, finalmente, mas não menos importante, trata-se de uma solução de baixo custo e que complementa a decoração.

Não se pode pedir mais, pois não?

O saco cá de casa veio dos armazéns Fernandes, Mattos & Companhia.

“Onde outrora se venderam tecidos, fazendas e colchas, vendem-se, hoje, bordados e têxteis para o lar e objectos decorativos. A empresa fundada em 1886 teve de se adaptar aos tempos modernos. O primeiro andar está alugado aos donos da loja A Vida Portuguesa.” No número 20 da Rua das Galerias de Paris, no Porto.

Também gosto muito dos sacos da izola publicados há uns dias aqui.

Advertisements