chá

interiors. ideas. emotions. life.

Month: January, 2013

a fábrica do sal

mais uma fábrica que foi mas já não é. num folheto abandonado no chão lê-se, ironicamente, “sabor até ao fim“. de resto, são muito poucos os vestígios de uma marca que ainda há pouco se encontrava nas estantes do supermercado. nas imediações, há quem continue a dedicar-se à arte.

mais fotografias aqui
vitasalvitasalvitasalvitasalarmazém de salarmazém de salarmazém de salarmazém de sal | flor de salcais de são roquecais de são roque

i’ll not speak of sadness of having lost a companion

[…]
with those eyes so much purer than mine,
he’d keep on gazing at me
with a look that reserved for me alone
all his sweet and shaggy life,
always near me, never troubling me,
and asking nothing.

[…]
joyful, joyful, joyful,
as only dogs know how to be happy

[…]
now he’s gone
[…]

– pablo neruda

4 de 52

segunda de manhã: um corte novo para o scott.
sexta à noite: um bolo de abóbora.esta receita, ligeiramente adaptada.
sábado, ao pequeno almoço: iogurte para duas. para ela, só com linhaça.
todos os dias, mais que uma vez: earl grey.
4 de 52

i am not done with my changes

i have walked through many lives,
some of them my own,
and i am not who i was,

[…]
exulting somewhat,
with my will intact to go
wherever i need to go,
and every stone on the road
precious to me.

[…]
no doubt the next chapter
in my book of transformations
is already written.
i am not done with my changes.

– stanley kunitz, the layers

3 de 52

uma das árvores mais bonitas e antigas da cidade caiu.
não foi a única.
adeus, árvore

bom fim de semana!

sejam felizes!
carmocarmo

semana 2 de 52

as imagens mais fortes da semana passada, registei-as com a retina e infelizmente não consigo tirá-las da cabeça. são dos últimos momentos do doggynho. sei que com o tempo vou esquecer essas imagens e ficarão só as memórias boas. também sei que um dia esta saudade vai deixar de doer. mas para já,continuo triste.

***

o doggy tinha o péssimo hábito de, quando se zangava (era raro), morder as portas. tantas vezes olhei para a porta da cozinha e pensei: “preciso de mandar arranjar isto!”. mas hoje, ao limpar a porta, passei os dedos pelas marcas dos dentinhos e decidi que é assim mesmo que vai ficar. quero lembrar-me.doggy's bite marks

doggy [02/2000 – 13/01/2013]

gostava de escrever um texto lindo sobre o doggy, tão meiguinho, tão doce, tão nosso amigo, mas tenho o coração demasiado apertado. continuo à espera de o ver vir ao meu encontro aos saltinhos quando entro em casa e às vezes ainda acho que ele está a dormir sossegado em frente à lareira. estou sempre a imaginá-lo a pedir comida com as patinhas da frente e a brincar e a rosnar com a ração antes de comer. e ainda nos oiço a uivar todos juntos até os vizinhos terem a certeza que somos doidos varridos. mais que tudo, sinto falta daquele abraço fofo e quente.

quando a doença se manifestou era tarde demais e, em dois dias, tomou conta dele. depois de um dia de internamento, quando deixou de haver esperança e a dor se tornou demasiada , decidimos que era hora de dizer adeus. pedimos que lhe tirassem o soro, levámo-lo ao colo à rua uma última vez e despedimo-nos. demos-lhe um último abraço e um último beijo e outro e outro e outro. e depois fizemos-lhe festinhas enquanto o punham a dormir. aconchegámo-lo num cestinho com a manta dele e sepultámo-lo no jardim da casa onde vamos viver e onde ficará perto de nós.

viveu uma vida cheia e plena, foi muitíssimo mimado e acarinhado e retribuiu em dobro como só os cães sabem fazer. foi o melhor amigo do dono e o dono foi melhor amigo dele. marcou as nossas vidas para sempre e deixa uma saudade enorme.

não podemos nem queremos esquecer-te, pequenino.♥doggyday 16: sunglassesdoggy @ the beach15.07.20121600IMGP8650doggy caminhadaIMGP4222IMGP4229IMGP4157doggydoggy [02.2000-13.01.2013]doggyhappy sundaydoggydoggy [02.2000-13.01.2013]doggypawdoggy [02.2000-13.01.2013]chegar a casa

as coisas são como são

“as coisas são como são, nem melhores nem piores, nem bonitas nem feias. o segredo está em encontrar beleza em todos os estados daquilo que nos rodeia”

lembram-se deste sítio? está a ser remodelado pelo grupo lanidor e é agora um outlet das marcas lanidor, lanidor kids, globe, quebramar e casa batalha e neste momento a zona dos antigos escritórios já está aberta ao público. não foram feitas grandes modificações: as paredes foram pintadas, o pavimento de madeira foi recuperado e as janelas substituídas. as antigas salas/gabinetes são agora espaços atribuídos a cada marca e onde estava o balcão da receção está agora o balcão da loja. há também um pequeno espaço reservado às lãs para tricotar. nas paredes, há fotografias do espaço tal como se encontrava, degradado, até há pouco tempo. e, na entrada, o texto que (em parte) citei no início.

a escolha não é muito variada, há poucos números da mesma peça e muitas peças únicas, peças com defeito e também algumas peças em segunda mão. mas para quem gosta de uma boa pechincha pode valer a pena. eu não encontrei o que ia à procura mas comprei uma peça para a carmo com 75% de desconto. o que gostei mesmo foi da transformação do espaço e do respeito para com a sua história.

para quem quiser visitar, fica em valongo do vouga, águeda.
a antiga fábrica da lã (antes)a antiga fábrica da lã (depois)antiga fábrica da lãantiga fábrica da lã

carmo e as teclas

constatada a enorme apetência dela para martelar as teclas do meu portátil sempre que o apanha a jeito, achámos por bem dar-lhe onde teclar à vontade. trouxemos para casa o velho bontempi b9 que o meu avô me ofereceu quando eu tinha 9 ou 10 anos e, como era de esperar, ela interessou-se imediatamente por estas teclas que produzem som. como aliás se pode ver pela expressão de profunda concentração!atençãodedossorriso