chá

interiors. ideas. emotions. life.

Category: a dona de casa imperfeita

a receita

usei esta receita, com pequenas alterações: dupliquei as quantidades, usei formas de 20 cm e alterei ao aspeto da cobertura. resultado: a massa do bolo fica parecida com a do bolo de arroz, bastante amanteigada, mas mais húmida e com bastante sabor a limão. a acidez das framboesas equilibra os sabores e o lemon curd é, para mim, a cereja (literalmente) no topo do bolo. recomendo. claro que nem tudo correu bem: o chantilly não ficou tão sólido quanto o desejado e a lalaloopsy aterrou de cabeça no recheio. apesar disso exatamente por isso, ficou perfeito! :)lalal(oops)yan acute case of  conjunctivitisthe making oflalaloopsya receita

Advertisements

da cozinha

IMGP2734na cozinharaindrops are the perfect lullaby por falar nisto: há uns meses deixei de passar a ferro toda a roupa da casa. dobro, arrumo e já está. roupa interior e pijamas, idem. às vezes até as t’shirts, as sweats e as calças de ganga. resumindo: praticamente só passo as pouquíssimas camisas que temos em casa. agora, quando penso que cheguei a passar roupa interior… pior, que cheguei a pagar a quem me fizesse isso, acho inacreditável.
e um destes dias vou trocar a nespresso por uma cafeteira moka.

a poupança, o cabelo e as socialites

calma que isto não se vai tornar um daqueles blogs de “dicas de poupança” onde logo depois de nos darem ideias para uns menus franciscanos poupadinhos, nos espetam com uma publicidade do sapato da moda. eu de poupanças não percebo mais do que aquilo a que sou obrigada, mas roubar da boquinha para meter no pé não me parece bem.

posto isto, e a quem interessar, aqui fica uma ideia de como passei a gastar menos dinheiro com o meu cabelo. não quer dizer que resulte com todos os cabelos, não quer dizer que eu ande exemplarmente penteada (que não ando) mas, ainda assim, a quem interessar:

1. pinto o cabelo em casa.
só pinto o cabelo porque tenho muitas brancas (provavelmente, é castigo dos muitos anos que fiz madeixas sem necessidade nenhuma). costumava usar produtos químicos, mas recentemente passei a usar henna. é um bocadinho mais chato de utilizar mas é muitíssimo mais saudável e barato.

2. corto o cabelo em casa.
para um corte comprido e escadeado básico como o meu, há montanhas de vídeos no youtube que explicam como fazer. é mesmo muito fácil e posso cortar só aquilo que quero (quando ia ao cabeleireiro, cortavam-me sempre uns bons centímetros além do combinado).

3. faço o brushing em casa.
quando quero usar o cabelo esticado, também faço eu. basta ter um bom secador e uma boa escova e alguma paciência. também é um rico exercício para os bíceps. no entanto faço isto cada vez menos, o que me leva ao próximo ponto.

3. raramente seco o cabelo com o secador.
desde que passei a cortar em casa faço um escadeado bastante mais pronunciado, que retira volume ao cabelo, e assim posso deixá-lo secar ao natural sem ficar com um cabeção. eu poupo na conta da eletricidade e as pontas secas agradecem.

isto tudo para dizer que – com exceção  do dia do casamento – há mais de 15 meses que não ponho os pés num salão.  são 15 meses sem conversa de cabeleireiro, 15 meses sem ler a caras, 15 meses sem saber nadinha da lili, da cinha e da bibá! 15, carago, 15!!!

o que eu tenho a dizer sobre as donas de casa perfeitas

se precisarem de alguém capaz de ensinar truques e dicas – e quiçá escrever um livro* – acerca de como (i) ter a casa irremediavelmente virada do avesso (ii) nunca encontrar coisíssima nenhuma no lugar e (iii) estoirar 100 euros na mais rápida idazinha ao supermercado (e não num mês inteiro), estou cá eu. tirando isso, não esperem daqui grande coisa.

*não uso talões de desconto mas também me dava jeito um rendimentozinho extra.