chá

interiors. ideas. emotions. life.

Category: Gratidão

5 meses

5 meses sem escrever. 5 meses de muito trabalho. 5 meses em que tanto aconteceu e, no essencial, nada mudou. gostava de retomar a escrita regular mas, na maior parte dos dias, estou demasiado cansada ou sem paciência. ou simplesmente acho que não há nada de especial a registar. e mais tarde arrependo-me. porque sempre me soube bem regressar aqui e rever bocadinhos da nossa vida. e todos os dias acontece algo especial. como a primeira vez que a carmo foi ao cabeleireiro. ou o dia em que começámos a nossa casa de bonecas. ou apenas aqueles dias em que consigo sair cedo do trabalho e o sol cai sobre o edifício… e é bonito.5 meses

Advertisements

dois!!

o bolo...(i am blessed)soprar...as mensagens...scott e pinkiethe day after

os pais

sem querer dar demasiada importância a um dia convencionado no calendário, é impossível passar por ele sem lembrar todos os “pais” da nossa vida: o pai dela, o meu pai, agora avô dela, e também o pai dele, o avô que a ela faz falta por ter partido cedo demais, o pai do meu pai e o pai da minha mãe e todos os outros pais dos pais sobre quem eu gostaria de saber mais para lhe contar a ela como chegámos aqui. hoje o dia é do pai pedro, do “pai-avô” zé e do “pai-avô” orlando, e dos “pais-avós-bisavós” zé, antónio, pedro e custódio. não porque o calendário diz mas porque nunca é demais lembrar o bem que nos coube.
o pai

8 de 52

adeus 2012. olá 2013

e assim dissemos adeus a 2012. depois de passar a tarde a trabalhar no nosso primeiro grande projeto para 2013 – mudar de casa – jantámos em família (cães incluídos, já se sabe), de pijama e chinelos, cansados mas satisfeitos com o trabalho realizado. passámos a meia noite na varanda a ver a cidade mergulhada no silêncio e os fogos de artifício ao longe, nas aldeias em redor. não brindámos, não comemos passas nem pedimos desejos. eu já tenho tudo o que sempre desejei.goodbye 2012goodbye 2012goodbye 2012doggy & scott new year's evework in progress

quem tem uma mãe tem tudo

o vestido e os sapatinhos: feitos em casa pela minha mãe, a partir de um casaco de lã “feltrado” por lavagens sucessivas. o detergente para a máquina de lavar roupa: feito em casa pela minha mãe. o pão: feito em casa pela minha mãe. a marmelada: feita em casa pela minha mãe. o queijo: feito em casa pela minha mãe. já dizia a canção: “quem tem uma mãe tem tudo, quem não tem mãe não tem nada”.
homemade dress | homemade laundry detergenthomemade baby shoeshomemade dresshomemade breakfasthomemade quince marmaladehomemade cheese

m de maria

foi da minha bisavó e agora é meu.

além de uma bisavó maria tive uma mariana, uma palmira e uma iria.

e as vossas? como se chamavam?

m de maria

grazie graça!!

milhões de obrigadas.

ADORO!!!

[linóleos: graça paz]

the (not so) little things

“The little things? The little moments? They aren’t little.”

– John Zabat-Zinn

águeda, percurso pedestre PR 3 – TRILHO DA ALDEIA

granny squares

Inspirada pelo trabalho de mãos talentosas como as da Ingrid ou as da Alexandra,  há muito tempo que queria fazer esta experiência…

E apesar do meu completo analfabetismo das artes do chochet, tricot, … and so on, tinha a certeza que não podia ser assim tão difícil.

Orientada pelos tutoriais que encontrei no Meet Me At Mikes, deitei mãos à obra. Fica um primeiro registo da experiência. O resultado está longe de ser perfeito mas o que posso garantir é que está a dar-me muito prazer.

O quadrado ao centro é de cerâmica, não vem de uma granny, mas de um grandpa e foi um presente. Thanks!! :))

 

 

 

exercício semanal de gratidão

Hoje é sexta-feira e por isso aqui fica o meu exercício semanal de gratidão.  Esta semana, mais uma vez, deparo-me (felizmente) com uma série de “obrigadas” a dizer.

Escolhi 4, e aqui os deixo, por ordem cronológica dos eventos que lhes deram origem.

1. A amizade de alguém que começou por ser uma conhecida, mais tarde família e, devagar, uma grande amiga. Com o tempo compreendi que quando preciso, posso contar com ela tanto para rir como para chorar. Obrigada.

2. À Graça, pela ilustração linda que fez para uma pequena história que escrevi. Fica desde já o agradecimento, mas voltarei a este assunto mais tarde, quando tiver esta preciosidade nas  mãos e lhe puder sorver todos os detalhes. Obrigada.

3. À Carina, pela surpresa boa, pela simpatia, e pelos presentinhos lindos e delicados que me enviou da Quasiloja. E pelo bilhete manuscrito, coisa que se usa  cada vez menos, nestes tempos tecnológicos por vezes tão impessoais, e que sabe tão bem receber. Obrigada.

4. Aos meus amigos de personalidade rica, variada e complexa, com quem me consolo sempre a conversar. São diálogos meio loucos,  que nunca se sabe bem onde vão parar, onde nos questionamos e provocamos mutuamente, teorizamos e disparatamos… numa montanha russa que quase sempre acaba em gargalhadas de fazer doer a barriga. Obrigada.