chá

interiors. ideas. emotions. life.

Category: HomeMade

a receita

usei esta receita, com pequenas alterações: dupliquei as quantidades, usei formas de 20 cm e alterei ao aspeto da cobertura. resultado: a massa do bolo fica parecida com a do bolo de arroz, bastante amanteigada, mas mais húmida e com bastante sabor a limão. a acidez das framboesas equilibra os sabores e o lemon curd é, para mim, a cereja (literalmente) no topo do bolo. recomendo. claro que nem tudo correu bem: o chantilly não ficou tão sólido quanto o desejado e a lalaloopsy aterrou de cabeça no recheio. apesar disso exatamente por isso, ficou perfeito! :)lalal(oops)yan acute case of  conjunctivitisthe making oflalaloopsya receita

Advertisements

embrulhar sem andar aos papéis

material: papel cavalinho A3, aguarelas, cotonetes para escrever;
o que escrever – para identificar a pessoa que vai receber o presente: o nome, uma expressão matemática cujo resultado seja a idade, várias palavras que comecem com a mesma letra do nome, palavras relacionadas com a profissão/área de estudos, as letras do nome desorganizadas… são tantas as possibilidades… é só deixar trabalhar a imaginação.presentespapel de embrulhopapel de embrulho

don’t miss the point

“living the slow life is not about finding methods to save time, it is about discovering new ways to appreciate and enjoy time”

–  jorg&olif the slow life company
life

mais uma fatiota feita pela avó

antes: uma saia velha. depois: um vestido novo e um par de sapatinhoshomemade dress #2

a árvore

então este ano decidimos que o tema seria a reutilização. para a árvore, inspirámo-nos nos modelos da ingrid jansen (gosto tanto mas taaaanto de tudo o que ela faz!!), fomos à praia em busca de madeira trazida pelo mar e, munidos de pregos e martelo, pusemos mãos à obra. para os ornamentos, reutilizámos alguns do ano passado, mas também cortadores de bolachas, fitas e um carrinho de linhas saídos da caixa da costura, uma casinha de monopólio e fragmentos cerâmicos da coleção, incluindo os passarinhos encontrados em vilarinho das furnas e o azulejo que um amigo me trouxe quando foi esvaziar a casa do avô.

o mais curioso foi que o mar decidiu dar-nos várias tábuas em tons de azul. e eu que cometi o erro de decorar a minha primeira casa TODA em tons de azul – na altura era bastante adepta dos esquemas de cores – apanhei-lhe um tal enjoo que, durante anos não admiti que absolutamente nada desta cor me entrasse pela porta dentro. mas o mar deu e eu acedi. fiz as pazes com o azul. não vamos voltar a ser os melhores amigos mas assim, sem exageros, estamos bem.

de resto, para mim o natal continua a ser isto: estar em família – o que não é exclusivo desta época do ano –  a nossa própria tradição de fazer e decorar juntos a árvore, a receita de perú recheado da minha sogra (que essa sim, só se faz uma vez por ano) e, não sendo possível livrar-nos da troca de presentes, espero que um dia consigamos instaurar a tradição de não trocar presentes comprados mas apenas coisas feitas pelas próprias mãos. e não, nem pela minha filha, aliás, sobretudo pela minha filha, não vou começar agora a fingir que é o pai natal que traz os presentes ou que o natal tem alguma coisa a ver com jesus.

[gostava que as fotografias tivessem ficado melhor, mas o facto é que se eu já tenho pouca paciência para ajustar tripés e isos e efes em circunstâncias normais então com uma piolha de sete meses à perna é zerinho]the tree the treethe treethe tree

detergente para a máquina de lavar roupa: a receita

blogged

ingredientes
8 litros de água
1 barra de 400 gramas de sabão azul
120 gramas de borato de sódio – à venda nas farmácias –
120 gramas de carbonato de sódio – à venda nas drogarias –
{atenção: não é bicarbonato de sódio!}

preparação
mede-se 1,5 litro de água, coloca-se numa panela de aço inoxidável, junta-se o sabão partido aos pedaços e leva-se a dissolver, em lume brando, mexendo de vez em quando. é importante que o sabão fique completamente dissolvido. adiciona-se o borato de sódio e o carbonato de sódio e mexe-se até ficar mais espesso. coloca-se a mistura num balde e juntam-se 6 a 7 litros de água quente e mexe-se bem. o detergente vai engrossando à medida que arrefece. (no fim, deve ficar com a consistência de um gel.) mexe-se de vez em quando até arrefecer completamente (demora algumas horas). guarda-se em garrafões.

modo de utilização
para uma máquina de roupa usar 1/4 de chávena (60 ml) de detergente
não é muito indicado para a roupa escura

para estas quantidades de ingredientes, gastam-se entre 3 a 4 euros.

queijo: a receita

pois que fui pedir a receita do queijo à minha mãe.
amanhã publico a do detergente.homemade cheesereceita para 1 litro de leite {para um queijo de tamanho regular, tipo serra, devem usar-se 4 litros de leite, ou seja, quadruplicar a receita}

ingredientes
1 litro de leite “do dia”
1 “suissinho” natural sem açúcar + a mesma medida de soro de leite
{o soro de leite é obtido na preparação do queijo. da primeira vez que se faz, não tendo soro, pode substituír-se por um segundo “suissinho”}

material necessário
1 mala térmica (para piqueniques)
frascos de vidro
1 coador grande
1 pano fino
1 aro

preparação
mistura-se o leite com o suissinho e o soro (ou com os dois suissinhos, da primeira vez) e coloca-se a mistura em frascos de vidro. enche-se uma mala térmica com água quente e mergulham-se os frascos. após a temperatura estabilizar, deve-se garantir que a água está a cerca de 40º, se necessário acrescentando água quente. (para evitar que a água arrefeça logo, é melhor usar leite à temperatura ambiente).
deixam-se os frascos mergulhados na água durante a noite. de manhã, transfere-se o conteúdo para um coador coberto com um pano fino e deixa-se a escorrer o soro para um recipiente. fica a escorrer um dia ou mais, dependendo da consistência desejada.
guarda-se o soro para utilizações futuras e coloca-se o queijo escorrido num aro, para dar a forma. (pode usar-se o aro de uma forma de bolo de abrir, uma peneira de pequeno diâmetro ou qualquer outro recipiente que permita conferir a forma circular mas que deixe que o soro restante continue a escorrer.) polvilha-se a parte superior com sal fino e leva-se ao frigorífico.
entretanto pode desenformar-se e colocar uma tira feita com guardanapos de papel em redor. fica uma semana no frigorífico, virando a parte de baixo para cima e polvilhando-a com sal. ao fim de uma semana, retira-se do frigorífico e mantém-se (fora do frigorífico) mais uma semana o processo de virar e temperar com sal diariamente. e está pronto a comer!

***adenda***

1. por “suissinhos” refiro-me aos queijinhos frescos tipo “danoninho”. no intermarché, existe natural, sem açúcar, da marca “paturages”
2. por “leite do dia”, refiro-me a “leite fresco”, por exemplo, da vigor. (como é pasteurizado, possivelmente pode ser consumido por grávidas, sendo necessário ter muita atenção às datas, mas nada como aconselhar-se com o médico)

quem tem uma mãe tem tudo

o vestido e os sapatinhos: feitos em casa pela minha mãe, a partir de um casaco de lã “feltrado” por lavagens sucessivas. o detergente para a máquina de lavar roupa: feito em casa pela minha mãe. o pão: feito em casa pela minha mãe. a marmelada: feita em casa pela minha mãe. o queijo: feito em casa pela minha mãe. já dizia a canção: “quem tem uma mãe tem tudo, quem não tem mãe não tem nada”.
homemade dress | homemade laundry detergenthomemade baby shoeshomemade dresshomemade breakfasthomemade quince marmaladehomemade cheese