chá

interiors. ideas. emotions. life.

Category: Recycling

DIY: placa para o quarto das crianças

(inspirado nas placas da Ingrid Jansen)

-1 tábua velha (do lixo)
-letras para decalcar (da loja chinesa)

Escolher uma frase e… mãos à obra.
DIYDIY

a árvore

então este ano decidimos que o tema seria a reutilização. para a árvore, inspirámo-nos nos modelos da ingrid jansen (gosto tanto mas taaaanto de tudo o que ela faz!!), fomos à praia em busca de madeira trazida pelo mar e, munidos de pregos e martelo, pusemos mãos à obra. para os ornamentos, reutilizámos alguns do ano passado, mas também cortadores de bolachas, fitas e um carrinho de linhas saídos da caixa da costura, uma casinha de monopólio e fragmentos cerâmicos da coleção, incluindo os passarinhos encontrados em vilarinho das furnas e o azulejo que um amigo me trouxe quando foi esvaziar a casa do avô.

o mais curioso foi que o mar decidiu dar-nos várias tábuas em tons de azul. e eu que cometi o erro de decorar a minha primeira casa TODA em tons de azul – na altura era bastante adepta dos esquemas de cores – apanhei-lhe um tal enjoo que, durante anos não admiti que absolutamente nada desta cor me entrasse pela porta dentro. mas o mar deu e eu acedi. fiz as pazes com o azul. não vamos voltar a ser os melhores amigos mas assim, sem exageros, estamos bem.

de resto, para mim o natal continua a ser isto: estar em família – o que não é exclusivo desta época do ano –  a nossa própria tradição de fazer e decorar juntos a árvore, a receita de perú recheado da minha sogra (que essa sim, só se faz uma vez por ano) e, não sendo possível livrar-nos da troca de presentes, espero que um dia consigamos instaurar a tradição de não trocar presentes comprados mas apenas coisas feitas pelas próprias mãos. e não, nem pela minha filha, aliás, sobretudo pela minha filha, não vou começar agora a fingir que é o pai natal que traz os presentes ou que o natal tem alguma coisa a ver com jesus.

[gostava que as fotografias tivessem ficado melhor, mas o facto é que se eu já tenho pouca paciência para ajustar tripés e isos e efes em circunstâncias normais então com uma piolha de sete meses à perna é zerinho]the tree the treethe treethe tree

praia fora de época

gosto da praia assim. vazia, fria, cinzenta, abandonada, quase virgem. gosto de descobrir os objetos arrastados pelo mar, com as cores já esbatidas pela luz solar e a textura amaciada pela areia e pelas ondas. podia passar horas nisto.
não deixo de me surpreender com a variedade de coisas que dão à costa: artigos relacionados com a atividade da pesca, madeira sob as mais diversas formas, garrafas (nenhuma com mensagem dentro), peças de plástico de toda a cor, feitio e proveniência e desta vez uma construção curiosa, certamente obra de quem também terá achado graça à parafernália.
fomos com o intuito de recolher algumas madeiras para reciclar mas acabei por trazer mais uma coisita ou duas. depois mostro.aquela praiaaquela praiaaquela praiaaquela praiaaquela praiafotografia: pedro martins

my day in photos 05.04.2012

breakfast
growing collection
jordgubbar
cleaning
inside
cleaning
inside

my day in photos 04.04.2012

viseu.

ele: a reviver memórias e a revisitar lugares do passado dele.

eu: a resgatar pedaços de cerâmica e malas de cartão de passados alheios.

IMGP0733
IMGP0755
IMGP0787
IMGP0814
IMGP0822

fotografia: pedro martins

ainda da bisavó

Parece que este tabuleiro também pertenceu à minha bisavó Maria. Deu-mo uma tia há uns dias. Depois de uma boa lavagem, tratei de o desinfestar (uso xylophene da dyrup). A seguir, há-de levar uma boa camada de cera chaves e poderá ser usado de novo.

from great-grandmother

from great-grandmother

army blankets

a propósito do cobertor cinzento que aparecia nestas imagens:

pertenceu à minha avó noémia e gosto particularmente dele porque me faz lembrar os antigos cobertores do exército cada vez mais (re)utilizados em ambientes contemporâneos.

 (a fronha de travesseiro com a rendinha delicada tem a mesma proveniência)

as casas das avós estão sempre cheias de tesouros!

via the paper jar

via design crisis

via ouno

 

letras

industriais, oxidadas, em tamanho XXL

para usar e abusar.

fora…

via remodelista

via decorator in a box

ou dentro…

via fargo bradshaw

via home life

coffee table

image from "at home with kim vallee"

image from "caIsa K"

tão simples quanto isto.

the bedside lamp

Estou cada vez mais interessada por este tema: reciclar, recuperar, reutilizar, re-pensar, adaptar, reduzir, aproveitar.

O “T” de madeira, encontrei-o no chão. Suponho que tenha sido deitado fora depois de ter deixado de servir para a sua função… fosse ela qual fosse. Agora, tem uma nova.

“The NEW black is certainly an ECO friendly conciousness, paired with a spirit of REPURPOSE and REUSE. Not bad! We all benefit: NATURE + our WALLETS”

– Iro Nassopoulos